quinta-feira, setembro 17, 2009

Quase agradecido à Gripe A!

Ainda estava eu no escritório, já na fase "piloto automático", quando recebi uma sms da DGS (Direcção Geral de Saúde). Recebia sem me ter inscrito em coisa alguma, deve ter sido mais uma partilha de base de dados pelos organismos públicos. A sms rezava assim: "Com sintomas de gripe fique em casa e ligue 808 24 24 24 ou contacte o seu médico. Reforce as medidas de higiene. Evite contagiar os outros. Consulte www.dgs.pt". Suponho que os meus olhos tenham brilhado pois logo me lembrei que durante a tarde tinha dado 3 espirros seguidos (e o ar condicionado hoje nem estava ligado). A perspectiva era boa. Pela manhã, bem cedo, ligava para a minha chefe e dizia-lhe que não podia ir trabalhar por causa da Gripe A (assim assustava mais); de seguida fazia-me à estrada e começava a gozar o meu fim-de-semana um dia mais cedo; segunda ao chegar à empresa, assim que avistasse as primeiras pessoas diria "ufa, foi falso alarme". Quando chegasse o fim da semana, repetiria a táctica. Iria ter finalmente o calendário de sonho: 4 dias de trabalho, 3 de fim-de-semana.

Tudo isto era muito bonito caso eu não fosse despedido após faltar um dia porque tinha dado 3 espirros. Sim, porque só na cabeça desta gente maluca da DGS é que cabe a ideia de só porque se tem um qualquer sintoma de gripe poder ficar em casa de prevenção. Talvez os funcionários públicos possam cumprir isso (e que pena têm eles, imagino), mas de resto, duvido muito.

Atchim!


Nota: Assina o feed deste blog ou recebe todos os posts por email. Podes também acompanhar o blog no Twitter e no Facebook.

36 Comentários:

Cirrus disse...

Pois, realmente, que luxo em que esta gentinha pensa que nós vivemos... Um espirrozito, uma tosse ou catarro do fumador, e lá ficava eu de prevenção, em casa. Havia de ser bonito...

Olha lá, a maioria dos homens do lixo são funcionários públicos. Vê lá se algum dia decidem ficar todos de prevenção e o país fecha para obras ao fim de três dias...

Crayon disse...

Santinho :P

Fazem um drama nas coisas, fazendo-as ser piores do q de facto são...enfim.

Mas pelo fim de semana já valia a simulação de gripe A ;P

bjoquinhas

Pronúncia disse...

Já és a terceira pessoa que hoje diz que recebeu essa mensagem... eu cá não a recebi!

As empresas de telecomunicações agradecem!

Já agora! Sabes quem são os maiores vendedores de bases de dados?! As universidades e as ordens profissionais...

Muitos dos fp, mesmo que faltassem, não se ia notar a falta deles. Assim como assim... já pouco ou nada trabalham! Ou melhor, até era capaz de ser boa ideia eles faltarem, pelo menos não chateavam quem trabalha e não falta (ainda conheço alguns)

Cirrus disse...

Continuo a chamar a atenção dos presentes: os homens do lixo são funcionários públicos. Vejam lá se algum dia o país pára porque estes senhores se esquecem de "chatear quem trabalha"...

Porra de insensibilidade! Se ao menos um dia destes isto os mordesse no rabo, sempre queria ver!!

;)

Pronúncia disse...

Cirrus, vamos lá a ver se nos entendemos.

Os fp's que não fazem falta nenhuma, pelo menos paravam de chatear (OS FP'S) que trabalham e não faltam (conheço alguns)!

Está melhor assim?! ;)

Vani disse...

Pois...sabes...ahahhah...eu tenho os sintomas ahahahaha, inclusive ter ficado de cama. Mas, não fiquei em casa, pois não era gripe A, era uma constipaçá ahahaha. Claro que,eu sair e contaminar os outros com uma constipaçá, não faz mal. Agora, se for gripe A, é crime... a gripe trata-se em 3 dias...eu ando a arrastar-me há uma semana. Da constipaçá ninguém fala!!! À constipaçá ninguém liga!!! :-p :D
Infelizmente esta merda não se quer ir embora e já estou a matóbicho (antib). Mas vou sair de casa agora mesmo ahahahah.

ps - não, não é gripe A, sim, tenho a certeza absoluta que não é.

ps - isto mói, mas não mata ;-)

Cirrus disse...

Pronúncia, a ver se nos entendemos. Sem funcionários públicos, onde pensas que estavas? Que água terias para beber? Para onde levarias o lixo que fazes em casa? Que transportes públicos terias nas cidades e aldeias deste país? Que Saúde terias, que educação terias, que polícia terias, enfim... Que país terias?
Não achas que é altura de se pararem com essas conversinhas de chacha sobre funcionários públicos, quando é bem verdade que a inércia existe no privado e até em maior quantidade?
Eu não sou fp, como lhes chamas... Mas conheço alguns trabalhadores do privado que seriam bem castigados se fossem trabalhar para o público!

Essa conversa de yuppie de anos 90 já não pega como dantes... as pessoas já conhecem mais do mundo e do país que não apenas os balcões das Finanças. Agora já se conhecem as condições de trabalho (e emprego também) no privado. Já não cola!

afectado disse...

cirrus, claro que os funcionários públicos são necessários. e claro que dentro do grupo dos funcionários públicos há os que são esforçados e competentes e os não são esforçados e competentes. tal como no privado. a questão está mais na % de cada grupo. aí sim se marcará alguma diferença.

sinto-me bastante à vontade para falar nisto pois trabalho no privado mas 80% do meu trabalho tem a ver com o público, e na minha família até há mais gente a trabalhar no público que no privado.

das pessoas do público com quem vou tendo contacto profissional, em mais de metade dos casos chega a ser confrangedor sentir que se está a falar com pessoas que não percebem do que estão a falar (e deviam pois é essa a sua função) e que pior do que não perceberem, nem se esforçam por perceber. para piorar, muitos destes ainda usam de uma postura arrogante para disfarçar a sua inaptidão (provavelmente desenvolvida após anos encostados à sombra a um lugar obtido por uma bela cunha).

quando o meu trabalho se desenvolve com outros privados, a percentagem de incompetência diminui. e mesmo quando noto que são pessoas que não dominam o que estão a falar, pelo menos uma boa parte são educados e atenciosos demonstrando interesse.

por alguma coisa amigos e familiares meus que trabalham no público já me disseram que eu devia era arranjar um lugar no público... coisa que pelo menos até agora sempre rejeitei. mas de facto fazendo contas às horas que trabalharia a menos por semana, às chatices que teria a menos, etc, desconfio que daqui a uns anos quando já só quiser saber de estar à sombra da palmeira irei mesmo para algum lugar público relacionado com a minha actividade.

Dri Viaro disse...

oi, passei pra conhecer seu blog, e desejar bom dia
bjss

aguardo sua visita :)

Pronúncia disse...

Cirrus, tu não entendeste mesmo a minha afirmação. Comparei funcionários públicos maus (que os há) com funcionários públicos bons (que os há também).

Comecemos pelos maus. Marcam consultas médicas, pedindo para que seja a meio da manhã ou da tarde para não terem que ir trabalhar. São pagos para picar o ponto. Muitos fazem trabalho particular no local onde deveriam estar a trabalhar para o público e recorrendo a material público, e ainda têm tempo para chatear os outros... os bons.

Vamos aos bons, fazem o que têm de fazer, o melhor que podem, sabe Deus (Rá para ti) em que condições, ainda têm que fazer o trabalho que os maus deixaram por fazer. Horário porreiro?! Há quando há e é possível.

Isto são só alguns exemplos. Pergunta aos homens do lixo, da saúde, e todos os que enumeraste (e bem) como são alguns dos seus colegas e se não perferiam que estes lhes desamparassem a loja em vez de muitas vezes ainda chatearem quem quer trabalhar com conversas do tipo "Pensas que alguém te vai agradecer?! Vais ter uma medalha, mas de cortiça! O trabalho não é para se fazer, é para se ir fazendo!" (São só alguns exemplos).

Que há muito trabalhador do privado que devia ir para o público para ver se depois falava da mesma maneira?! Sim, há muitos! Conheço os que se mudaram a pensarem que iam descansar à sombra da bananeira. Azar... a bananeira não tinha copa, logo não havia sombra.

E isto não é conversa gasta de Yuppie dos anos 90. Sabes como sei isto tudo (e muito mais)?!

JÁ TRABALHEI NOS DOIS LADOS!...

Pronúncia disse...

Afectado, só te esqueceste de falar dos profissionais que trabalham no privado e são tão ou mais incompetentes que os do público e depois pensam que todos estão à venda e incompetentes como eles... para cada corrompido há sempre um corruptor!
Além disso pensam que estão a fazer um favor aos públicos, esquecendo-se que o trabalho deles próprios depende, e em muito, desses mesmos públicos (tu próprio falaste dos 80% do teu trabalho que só existe porque há sector público).

Cunhas?! O cancro do sector público! É verdade!
Horas a menos?! Quando é possível, se bem que é uma das vantagens do público, concordo!
Chatices a menos?! Olha que não sei! Depende de muita coisa e em que o factor público ou privado até é o menos importante... depende mais da pessoa!

Quanto à sombra da bananeira, já respondi ao Cirrus.

afectado disse...

pronúncia, eu falei, ainda que não tenha desenvolvido muito. disse "a questão está mais na % de cada grupo. aí sim se marcará alguma diferença", já estou mesmo a dizer isso... há incompetentes num lado e no outro, há competentes num lado e no outro.

mas sim, no privado há incompetência de grande nível. e por vezes até com consequências piores, como por exemplo a falência de empresas que arrasta muita gente para o desemprego definitivo, isto se falarmos nas pessoas de maior responsabilidade. nas de menos igual, mas com outro tipo de consequências.

eu referi uma diferença que encontro muito entre os incompetentes do público e os do privado. e isso diz muito, já que incompetente às vezes as pessoas não têm culpa de o ser, mas depois distinguem-se na atitude que têm. e encontro mais gente a esconder a incompetência atrás da arrogância no público que no privado. sabes porquê, não sabes?

quando falei em horas a menos, falei no sentido que no público muita gente faz da hora de saída uma religião. não que não cumpram o horário. quanto às preocupações, sim, vai de cada pessoa, mas é mais fácil ser despreocupado no público que no privado. tu que já andaste nos dois lados, também saberás o porquê...

a minha opinião não é que no público é tudo mau e no privado é tudo bom. isso seria ridiculo de dizer. há de tudo nos dois lados. apenas há diferença nas %, e penso que isso é inegável por quem conhecer ambos os lados.

Maria Manuela disse...

Depende do Funcionário Público, babe.

Aqui há para todos os gostos. Temos daqueles que vêm trabalhar cheios de febre e depois temos dos outro que dão um traque e ficam 15 dias em casa à espera que a cólica passe.


bj

Miss Kin disse...

Não me parece sequer que os funcionários públicos possam fazer isso, pelo menos mais do que 1 vez...

Pronúncia disse...

Vamos então por partes.

Atitude- a arrogância é própria dos incompetentes. Se os há em maior percentagem no público ou no privado? Isso já não sei, mas até admito que sim. E porquê?! Muito por causa do que já falei atrás, o grande cancro da FP... as cunhas e o compadrio- que fazem aumentar em muito a incompetência.
O f. público é arrogante para esconder a sua incompetência, porque provavelmente arranjou o emprego, não há custa das suas competência, mas da família que lhe coube em graça. Será sempre arrogante, trabalhe onde trabalhe. Só é humilde com outro f. público, porque pensa que são “iguais”.
O f. privado é arrogante também para esconder a sua incompetência. É mais simpático e humilde quando trabalha com outro do sector privado, porque parte do princípio que são “iguais”. Agora atura-o no público e vais ver ele a transfigurar-se no cúmulo da arrogância, porque se acha superior e que está ali para fazer um favor e não para executar BEM um serviço para o qual é pago. Esquecem que se TEM TRABALHO o devem ao público que lho dá. (Estamos a falar de privados que trabalham para o estado, claro)

Horário- nunca trabalhaste numa fábrica privada, pois não?! Eu já! Se trabalhasses ias ver o que acontece quando a campainha toca... o trabalho que se lixe, até podem estar a pregar um papel num placard, este cai ao chão e lá fica, o horário é sagrado. Na FP acontece exactamente a mesma coisa. Lá está depende mais das pessoas que do sítio onde trabalham.

O grande mal da função pública, já te disse qual é... demasiadas cunhas! Esse é o grande cancro! Faz aumentar em muito o grau de incompetência. Ai, sim, talvez tenhas razão nas percentagens de que falas, mas apenas as referes nos comentários, porque no post deste a entender que era 100% de desleixo para um lado e 0% para o outro e passo a citar-te:
“ Talvez os funcionários públicos possam cumprir isso (e que pena têm eles, imagino), mas de resto, duvido muito “. Sublinho especialmente o que está entre parêntesis. Para depois afirmares nos comentários “quando já só quiser saber de estar à sombra da palmeira irei mesmo para algum lugar público relacionado com a minha actividade “. Aqui acrescento, se tiveres feitio para isso... o que até hoje não me pareceu (mas eu não te conheço).

Foste injusto. E de duas maneiras.
Porque meteste tudo no mesmo saco e porque te esqueceste que podes trabalhar no privado, mas o teu trabalho existe em grande parte (os tais 80% de que falaste) porque o público to contrata.

Este País não vai a lado nenhum enquanto cada um de nós, trabalhe onde trabalhar e faça lá o que fizer, não se convencer que tem que produzir mais do que aquilo que leva para casa no fim do mês e que TODOS são precisos, desde que sejam responsáveis pelo que fazem e tenham brio nisso... o que cada vez vejo menos, e nos dois lados da barricada, diga-se!

Ana GG disse...

Sou funcionária pública e já trabalhei também no privado. Se fizer um balanço não sei em qual dos dois sectores trabalhei mais, posso apenas afirmar que no privado, comparativamente, ganhava quase o dobro.
Como sabes a função pública abarca um leque imenso de sectores por isso não devemos colocar todos os FP no mesmo saco (tal como no privado) e, o facto de trabalharmos no público não nos transforma automaticamente em maus profissionais ou baldas...esses existem tanto de um lado como do outro.
Falar mal do público é um lugar comum.
Eu, por exemplo, chego a trabalhar em casa, fora de horas, mais de 8 horas em dias de semana e nos fins de semana, dias inteiros. Mas isto sou que não sirvo de exemplo para ninguém...

PS. Desta vez concordo em absoluto com o Cirrus.

Miss Kin disse...

Tás quase a ser comido, pela boca dos funcionários públicos, mas não a acho assim tão grave, é uma coisa que se costuma dizer, que embora se aplique a muito boa gente, não se aplica a toda, como em tudo.
Não percebo metade das dissertações que aqui se fizeram por causa disso.

Cirrus disse...

Pronúncia, depois de tudo o que aconteceu ultimamente, podes afirmar que não há cunhas nem compadrio no privado? Provavelmente, são muito mais que no público - vai lá a ver as equipas de trabalho na Mota, no BCP, na Caixa, na Lusoponte... Até ficas maluca!

De resto, é isso mesmo, somos todos necessários e não precisamos (desculpa, Afectado) de nos andarmos aqui todos a rotular a torto e a direito. Mais, já nem se justifica, pois há privados a trabalhar no privado, há públicos no público, há privados no público e (muitos e a aumentar rapidamente) públicos a trabalhar no privado! E não é por serem funcionários públicos que ganharam o seu lugar nos privados e o reconhecimento de competência. É porque são competentes!

Este país é pequeno demais para excluirmos alguém.

Mulheka disse...

Pois que eu tb recebi essa sms e fartei-me de espirrar mas não fiquei em casa. Mas se eles me pagarem os dias, nãpo me importo nada de ficar em casa de prevenção!!!

Dylan disse...

Um espirro ou vários não é necessáriamente um sintoma de gripe. Para que conste...

Framboise disse...

Também gostava de poder ficar em casa, mas não me quero arriscar a fazer provas de recuperação.

Diaboderoupacurta disse...

Recebi essa sms hoje de manhã, mas dá-se um desconto. Eles provavelmente não tinham mais que fazer e então decidiram brincar com o telefone e mandar essa gente toda ficar em cada devido a uma tossinha. São uns brincalhões! :)

afectado disse...

crayon, claro que valia!

afectado disse...

vani, devias ser levada para um laboratório para seres estudada haha

afectado disse...

dri viaro, obrigado :)

afectado disse...

maria manuela, eu sei, já o disse nos comentários...

afectado disse...

miss kin, desconheço.

afectado disse...

pronúncia, eu não meti tudo no mesmo saco, nem no post, nem nos comentários.

e não me esqueci disso. até gosto muito de trabalhar com o público. principalmente, quando me deparo com pessoas que se esforçam.

afectado disse...

miss kin, ora nem mais. fico contente por saber que pelo menos uma pessoa percebeu isso.

nem eu percebo...

afectado disse...

mulheka, eu também não me importava hahah :)

afectado disse...

dylan, esse comentário é muito técnico para este post.

afectado disse...

ana gg, eu não os coloquei a todos no mesmo saco. pensei que tinha sido claro nisso...

quanto aos salários, há de tudo. há quem ganhe muito mais no privado que no público, e também há o inverso. depende muito de área, cargo e competência. até é possível que dependa de outras variáveis, mas dessas três pelo menos depende.

afectado disse...

framboise, fica :P

afectado disse...

diaboderoupacurta, então que mandassem sms eróticas hahaha

Vani disse...

afectas, afinal era uma sinusite q criou bicho :-) mói muito pq eu não me posso dar ao luxo de apanhar cenas q me tapem os ouvidos...lol. Mas ca grande discussão q vai para aqui...

AUFDERMAUR disse...

Também recebi essa famigerada SMS! Aliás, acordei com ela! É sempre uma bela maneira de começar o dia :D

Enviar um comentário

Comenta à vontade, estejas ou não de acordo com o que por cá é dito. No caso de te quereres armar em espertinho, lembra-te: "para parvo, parvo e meio". Bons comentários!

A afectar a blogosfera desde 1 de Maio de 2005. afectado@gmail.com

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO