sexta-feira, abril 10, 2009

Funcionárias da Loja do Cidadão, essas malucas

Já estava a demorar a surgir alguma notícia do tipo em que se expõe a mentalidade que tentam impor aos portugueses. Vejamos: As funcionárias da Loja do Cidadão de Faro, inaugurada a 3 de Abril, foram proibidas de usar saias curtas, decotes, saltos altos, roupa interior escura, gangas e perfumes agressivos. As instruções foram dadas numa acção de formação antes da abertura da loja, denunciou uma funcionária. A proibição é tão detalhada que, na minha opinião, só faltou mesmo que lhes impusessem a vestimenta para cada dia da semana, algo semelhante à programação da comida nas cantinas. Cada dia da semana, com a sua imposição, todas dentro do espírito atendimento de qualidade, claro.
Concordando eu que haja limites do bom senso na forma como as pessoas se vestem em locais de trabalho, especialmente nos de atendimento ao publico, há coisas nesta proibição que me parecem claramente exageradas. Então não podem usar roupa interior escura? E como verificam isso? Vão abrir vagas para um profissional de verificação de roupa interior escura? Ou esta ideia terá partido da pessoa que depois irá verificar os conformes da dita roupa interior? E já agora, finalizando as minhas questões pertinentes para o atendimento de qualidade de uma Loja do Cidadão, porque não proibiram os chinelos, calções de praia e outras coisas do género... Isso pode-se levar vestido?

PS: Preocuparem-se com o facto de uma pessoa para tratar da porcaria de uma assinatura num papel ter que estar duas ou três horas à espera é que nada.


Nota: Assina o feed deste blog ou recebe todos os posts por email. Podes também acompanhar o blog no Twitter e no Facebook.

28 Comentários:

ipsis verbis disse...

AHAHAH! chegarem à roupa interior e aos perfumes só mesmo para rir.
(sim, porque há lojas onde existe a bela da "farda", igual para todos os funcionários. E acho isto estúpido, fascizóide e do século passado)
De certeza que essa formação não começou no dia 1 de Abril? É que parece mesmo...

«PS: Preocuparem-se com o facto de uma pessoa para tratar da porcaria de uma assinatura num papel ter que estar duas ou três horas à espera é que nada.»

Era assim que todas as funcionárias deveriam ter respondido! :)

afectado disse...

ipsis verbis, que fizessem recomendações do tipo "cuidado com a apresentação, nada de exageros nos decotes e saias", tudo bem. até porque há malucas para exageros desses. mas proibições dá logo outro ar à coisa. e lá está, chegarem a certos extremos... é triste!

ipsis verbis disse...

Ouvi agora, na RTP, a vogal Maria Pulquéria Lobo, do conselho administrativo da Agência de Modernização Administrativa (que irónico) dizer que "nada é proibido" no que respeita ao vestuário, e logo a seguir, passam uma imagem do que é "permitido" e do que "NÂO é permitido"... enfim.
É destas "modernizações" que o país precisa.

ipsis verbis disse...

afectado, seria menos drástico, mas mesmo assim... quererem fazer de nós rebanho, todos iguais e marcados com placas com o nosso nome, só me faz lembrar o totalitarismo.

afectado disse...

ipsis verbis, como forma de protesto, na próxima semana vamos andar todos com roupa interior escura e perfumes agressivos! kiri kiri kiri kiri kiri :)

ipsis verbis disse...

BOA Falâncio! :D

Pronúncia disse...

Se as saias não podem ser curtas e os decotes não podem ser grandes, como é que conseguem saber a cor da roupa interior?!

Esqueceste-te dos saltos altos, parece que também são proibidos.

Mas olha que já vi muita senhora a atender o público com uma roupinha que não lembra a ninguém. Género "cinto largo e decote até ao umbigo" :)

afectado disse...

pronúncia, daí a minha pergunta se iam contratar alguém para o efeito :)

os saltos altos é para evitar futuros problemas de coluna das funcionárias e com isso garantirem que não precisam de baixa. é para o bem delas e do país :P

sim, eu também já vi. e por isso aceitaria que fizessem recomendações de bom senso no que vestem... nunca proibições a este nível. olha mandar na cor da roupa interior... anda bonito isto, anda!

Pronúncia disse...

Se contratassem alguém, eras menino para te candidatares ao lugar, não?! ;D

afectado disse...

julgo ter as competências necessárias :)

sonhos/pesadelos disse...

as horas de espera agora passarão a ter desculpa plausivel, vão estar a inspecionar a cor da roupa interior das funcionárias...
bjs endiabrados

afectado disse...

sonhos/pesadelos, se calhar já faziam isso e nós é que não sabíamos :)

"De uma Loira" disse...

"Olhe mostre lá a sua cuequinha para ver de que cor é! Sabe que o cliente tem que ser bem atendido e cuequinhas escuras afugenta a clientela!Vá, mostre lá!"
Isto há com cada coisa...

"Hummm... quem está a usar perfume Channel??!Não pode ser! Se quiser, a minha mãe vende na lojinha um perfume que ela própria fabrica à base de sabão...que me diz, quer comparar?"XD

Existem coisas bem mais importantes e urgentes para solucionar que isto.
E já agora, como fica a situação dos empregados do sexo masculino?Também têm que mostrar a sua roupinha interior?:p

Bjss

afectado disse...

de uma loira, os empregados do sexo masculino estão a ser discriminados! eles queriam que uma bela senhora os fosse inspeccionar mas não têm essa sorte :P

Ana GG disse...

Li esta "anedota" logo de manhã. Nada como uma boa risada para começar bem o dia.

Por este andar qualquer dia exigem-nos uma burka.

Treze disse...

Então podem usar cabedal? Ou latex?
E maquilhagens à Joker?

E podem mascar pastilha?

afectado disse...

ana gg, realmente nada melhor que ler assim umas coisas logo pela manhã :)

afectado disse...

treze, tendo em conta as proibições, podem :D

provocação disse...

Será que os clientes podem usar o livro de reclamações para a chibadela? Ex: blá blá blá estive à espera muito tempo e a funcionária usava o poison da Dior!

Cirrus disse...

Proibições são sempre negativas, devia ser sempre recomendado o bom senso, que devia ser suficiente. Ora, evidentemente, de bom senso, muitas pessoas não conseguem sentir nem o cheiro. Por isso, apesar de não achar bem, penso que faz algum sentido. A questão do perfume, então, é de morrer. É evidente que alguém tinha de começar a proibir os perfumes nos locais de atendimento. Sempre que vou a um destes locais, venho com uma valente pedrada de perfume, e julgo que todos já passamos por isso.

A questão da roupa interior: somos todos tão inocentes, não somos? Porra, devemos ser, nunca vimos três ou quatro gajos embasbacados a olhar para as alças pretas do soutien da senhora que os atende, que usa uma vaporosa blusa branca... Além de lhe ficar muito bem, dá um aspecto de seriedade ao serviço de atendimento que é muito respeitável...

Não exageremos - proibir ou não é opção do patrão, trabalhar lá ou não é opção do empregado. Algumas desta proibições já não deviam fazer sentido, mas algumas alminhas continuam a progredir na carreira na horizontal, a menos que todos sejamos tão inocentes que não saibamos disso. Se ajuda a evitar este tipo de situação, venha a proibição. O local é de trabalho, não de engate. O local deve ser sério, e não para que quem tem o maior par e o mostre, ou as melhores pernas, vá subindo na cerreirinha e as outras e outros fiquem a chupar no dedo.

afectado disse...

provocação, ou então quando alguém estivesse a ser atendido virava-se para a funcionária e dizia "ora mostre lá a cuequinha para ver se faço queixa ou não" :)

afectado disse...

cirrus, não proibiram os perfumes, mas sim os perfumes agressivos. o que põe um enorme problema de subjectividade... tu podes considerar um perfume agressivo que para mim não passa de um perfume normal.

quanto à roupa interior, vendo por esse ponto podes ter razão, mas aí a culpa não é delas, é mesmo dos que ficam embasbacados a olhar para uma alça de soutien!! e proibiram a roupa interior escura, mas umas cuecas de fio dental podem levar? é que basta a funcionária ter que ir buscar qualquer documento a uma zona mais baixa que as mesmas podem "saltar" para fora das calças. mas pelas proibições deles, desde que não sejam escuras, está tudo bem...

claro que sim. eu quando sou entrevistado por empresas também aceito ou não as regras da casa. mas não creio que estas proibições minimizem o problema de quem sobe na carreira na horizontal (pessoas que eu abomino totalmente pela falta de dignidade e brio). quem pretende subir na horizontal vai subir na mesma, com ou sem saltos altos, com ou sem roupa interior escura.

penso que aqui devia-se ter recomendado o bom senso. se houvesse alguma ave rara que exagerasse, chamava-se essa pessoa, e aí falava-se um bocado mais claro porque certamente a pessoa seria desprovida de bom senso.

lembro-me que quando finalizei o meu percurso na universidade tive que apresentar a minha investigação de final de curso e dois dias antes da mesma perguntei ao meu orientador se havia regras para a roupa nesse dia (isto porque a maior parte dos meus colegas planeava ir de fato e gravata e porque esse mesmo orientador era muito certinho). ao que ele me disse: "afectado, venha como se sentir à vontade. só lhe peço bom senso. por exemplo, calções e chinelos como já vi há uns anos um ex-colega vosso, não!"

eu que não gosto de andar de fato e gravata e faço-o apenas quando estritamente necessário, lá fui de sapatilhas, calças de ganga e camisa por fora. ele que é um esquisitinho, mesmo assim deu-me a nota máxima na apresentação e na investigação. mas, se fosse na loja do cidadão de faro, eu não podia trabalhar pois lá não se podem usar gangas!

Cirrus disse...

Afectado

Eu tenho de vestir fato e gravata. E pensei, no inicio, que ia morrer por isso, pois passava de função fato de macaco para bata, e de bata para gravata. Não me afectou minimamente. Ao invés, percebi porque razão cada função que passei exigia indumentárias diferentes.

O facto de a alça preta estar por baixo da blusa branca ser chamativo para meia dúzia de tarados não implica que as meninas que assim vestem tenham culpa nisso. Têm culpa é por saberem que isso provoca esse efeito e não o evitarem. Por, como bem disseste, o bom senso basta. Mas o bom senso de certas pessoas leva-as a participar no Big Brother... E uma repartição pública não é um programa de televisão. Quanto ao fio dental, que tão bem focaste, porque achas que as calças de ganga foram proibidas?

Eu sou muito crítico quanto a códigos de indumentária. Não ligo muito. Uso fato e gravata para o trabalho porque me parece correcto. Por comum bom senso. Mas daí a aprovar certas coisas que vejo em locais de atendimento público...

A indumentária provocatória não acaba com ascensão horizontal, mas que corta um pouco a base, lá isso tens de concordar que corta. O chefinho atesoado não repara em certas indumentárias, enquanto que noutras lhe salta a... tampa imediatamente.

Atenção, não sou falso moralista nem moralista sequer. Sou uma pessoa normal como tu, que pensa que o bom senso é importante e deve imperar. Há é muitas pessoas que não sabem o que isso é. E ensinar essas pessoas, às vezes, só com proibições...

afectado disse...

cirrus, de facto há pessoas que bom senso não têm. de qualquer modo acho que neste caso deviam ter recomendado bom senso, dado alguns exemplos, etc. depois, era deixar andar a caravana e ver. acredito que ainda assim algumas fossem para lá sem senso nenhum, quanto mais bom. a essas, chamavam-se e falava-se um bocado mais claro. até porque assim as proibições parecem estúpidas. se forem de roupa escura, a roupa interior escura já não provocaria efeito visual nenhum, por exemplo...

Cirrus disse...

A verdadeira questão a rever não é se é bom ou não proibir. É claro que proibir por proibir não é o melhor. Mas é pena que se tenha de proibir. Ou seja, depois de explicado, até faz sentido, não é? Então porque será que a palavra proibir nos mete tanto medo? Porque somos todos amantes da liberdade, já sei. O que não impede que nos sejam proibidos alguns mimos. E estes, acho muito bem que o sejam.

afectado disse...

não tenho nada contra proibições (desde que bem pensadas). é que se estas não existirem, não estávamos em democracia mas sim em anarquia...

PDuarte disse...

boa.
e agora em relação ao poste, boa malha.
também tratei do assunto hoje, não com tanta classe mas foi o que se pode arranjar.
ó pá, não te engasgues com o cabrito e uma grande Páscoa.

afectado disse...

pduarte, boa páscoa para ti também!

Enviar um comentário

Comenta à vontade, estejas ou não de acordo com o que por cá é dito. No caso de te quereres armar em espertinho, lembra-te: "para parvo, parvo e meio". Bons comentários!

A afectar a blogosfera desde 1 de Maio de 2005. afectado@gmail.com

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO