segunda-feira, dezembro 01, 2008

Portuguesices

É tipicamente português ao ver um acidente grave numa estrada, abrandar para ver tudo ao pormenor. Nem sequer é parar para tentar ajudar (mesmo sabendo que a melhor ajuda que se pode dar é ligar para o 112 e esperar). É mesmo absorver a informação toda com os olhos, para passado uns minutos ou horas poder estar a contar o cenário de terror que presenciou, tornando-se na pessoa central da conversa. O pior é que como consequência deste acto ou acontece que se dificulta a chegada dos meios de emergência ao local, ou pior ainda, provocam-se ligeiros toques o que vai aumentar a confusão no local, coisa sempre desnecessária nestes casos. E acreditem que mesmo pensando isto tudo, fico incrédulo ao ler isto.


Nota: Assina o feed deste blog ou recebe todos os posts por email. Podes também acompanhar o blog no Twitter e no Facebook.

4 Comentários:

Pronuncia disse...

É muito triste.
Eu conheço um idiota, que uma vez até tirou fotos do acidente e queria-me mostrá-las. Ainda por cima numa estrada que eu faço todos os dias (completa falta de sensibilidade)
Quando vejo um acidente, se os acidentados já estiverem a ser socorridos perfiro nem olhar. São coisas que me incomodam muito. Já perdi amigos muito próximos assim.
Eu ando muito na estrada (algumas nem esse nome deviam ter) e, sinceramente, cada vez tenho mais medo de conduzir. Ainda por cima lá vem uma das épocas mais críticas do ano.

TeddyLover disse...

É verdade...escreveste tudo aquilo que eu penso em circunstâncias dessas...eu, pessoalmente, acho...ACHO...não tenho a certeza, que n teria coragem de ir vêr...chegava lá, desmaiava e em vez de ajudar...ainda era mais uma pessoa para tratarem, quando os secorros chegassem ao local. Se bem que, às vezes, qd é necessário...o sangue frio vem-nos não sei de onde. Já me aconteceu sim, mas parei o carro...já se encontravam mais pessoas no local, confirmei que já tinham chamado o 112 e, segui viagem...aliás, n devemos fazer nada mesmo...não sabemos em q condições estão as pessoas e, não percebendo nada do assunto, há que não mexer nelas, pois podemos piorar a questão. Uma coisa que devemos fazer sim e, muitas vezes o 112 aconselha, é falarmos com as pessoas, perguntar se sente esta e aquela parte do corpo e ir mantendo a conversa até os socorros chegarem...e isto é o que deve fazer...AJUDAR...português é muito sensível e solidário, mas nestas horas o raciocínio...pira-se não sei pra onde...só de ouvir as sirenes das ambulâncias e dos carros de bombeiros, só de vêr o carro de sencarceramento, fico logo arrepiada, aflita e preocupada...mais uma coisa em que as pessoas deviam e ainda não conseguiram, educar as suas mentes no sentido de serem organizados e orientados e ordendado... e colaborarem de facto...

TeddyLover disse...

ERRATA

No início...SOCORROS...no fianl...ORDENADOS

E já agora acrescento com um exceto de um poema de Florbela Espanca-me (q eu sou mazoquista)...
"As pessoas sensíveis, não gostam de vêr matar galinhas...porém, gostam de comer galinhas..."

Mel disse...

Todos os acidentes são terríveis para mim, por todas as razões e mais algumas.
Quando vejo algum, a minha principal preocupação é de ver se conheço algum dos carros sinistrados, mas isso ficou-me de trauma, por nada mais.
De resto, concordo contigo em absoluto. Tenho o curso de primeiros socorros, e a obrigação moral de parar (se for uma das primeiras pessoas a passarem pelo local, obviamente) e prestar socorro ás vitimas.
Mas há com cada totó por ai, que a vontade que dá é que trocassem de lugar com quem está a precisar de assistência. Aí o caso mudaria completamente de figura.
Ah, e é verdade...não acontece só aos outros...

Enviar um comentário

Comenta à vontade, estejas ou não de acordo com o que por cá é dito. No caso de te quereres armar em espertinho, lembra-te: "para parvo, parvo e meio". Bons comentários!

A afectar a blogosfera desde 1 de Maio de 2005. afectado@gmail.com

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO