quinta-feira, março 06, 2008

1/2 Leite e Uma Torrada - Teorias comprovadas IV

4ª - As minhas amigas não são tuas

A coisa é simples: não se pode confiar num tipo que vá ter com as nossas amigas para falar de outra coisa qualquer que não seja uma festa surpresa para nós. A sério.

1º Elas são as nossas amigas! Logo, estão de nosso lado, mesmo que não tenhamos razão.

2º É um golpe muito baixo tentar chegar a nós, através das amigas (ou família).

Tive, em tempos, uma amiga cujo namorado, só fazia m… asneiras. A palavra que eu queria era outra, mas este é um blog de respeito. ;-) Chegava atrasado uma hora, duas ou então nem aparecia e depois desculpava-se com distracção. Depois, era extremamente ciumento. Enfim, palermices. Eles andaram sempre no vai-não-vai. Começavam, acabavam, recomeçavam, acabavam, etc. Uma vez, ela manteve a separação mais tempo. Estava disposta a não voltar. (Ok. Vou fazer de conta que ambas acreditávamos nisso.) Mas, certo dia, era Verão e estávamos na praia, ele liga-lhe e ela não atende. O gajo manda-lhe uma sms com a choradeira do costume “Ah e tal, estou arrependido. És o amor da minha vida, blá blá blá… e como prova vou a casa dos teus pais para lhes pedir desculpa por tudo o que tenho feito blá blá blá”

Bem… ela ficou de tal maneira que ainda estava de biquíni quando entrei no carro para a levar embora. Escusado será dizer que a chantagenzita resultou, pois isso fez com que ela falasse com ele e mais uma vez se rendesse. (Mais tarde voltaram a separar-se, mas entretanto perdemos o contacto, por isso não sei se já existiu um final.)

Também já tive algo parecido. Um gajo que foi falar com uma das minhas amigas fazendo-se de vítima. E porquê? Porque lá sentiu que já não ia nas conversas e isso foi uma espécie de último recurso.

Bom, não aceito nem aceitarei quem vai ter com os meus amigos e família, fazendo-se de vítima (mesmo assumindo que fez asneira, está a agir como vítima), para que depois as pessoas, sensibilizadas, venham exercer alguma pressão sobre nós. Felizmente, no meu caso, não resultou, até porque a minha amiga… é minha amiga! Ele podia dizer tudo e mais alguma coisa, mas ela sabia o que eu sentia e como eu tinha vivido as coisas, não ia meter-se na minha vida. Informou-me do caso e pediu para não ser novamente incomodada por ele. E é assim que deve ser.

Texto escrito por Allie.


Nota: Assina o feed deste blog ou recebe todos os posts por email. Podes também acompanhar o blog no Twitter e no Facebook.

5 Comentários:

SílviA disse...

Pois..eu também já passei por isso. Mas, eu e as minhas amigas temos a teoria e a prática "A minha amiga és tu e faças o que fizeres estou aqui".

No entanto, sem efeitos de choradeira e chantagenzinha não vejo mal nenhum em se darem. Eu saia mtas vezes ao fim de semana com os amigos do meu ex enquanto ele ia pa territa :)

Allie disse...

O mal não está em darem-se, mas em recorrerem às nossas amigas quando querem chegar a nós.

htsousa disse...

Tenho ideia que não seja uma estratégia que dê grandes resultados... e que as mulheres recorrem a ela mais vezes do que os homens!

Allie disse...

HTSousa

Sou completamente contra isso. E tenho a ideia que os homens, principalmente, são mais unidos. Mesmo que o amigo tenha feito asneira, da grossa, eles preferem dizer que não sabem de nada a dar um minimo de razão.

htsousa disse...

allie, mas não será essa a função de um amigo? Eu não discuto as falhas dos meus amigos com mais ninguém a não ser com eles mesmo.

Enviar um comentário

Comenta à vontade, estejas ou não de acordo com o que por cá é dito. No caso de te quereres armar em espertinho, lembra-te: "para parvo, parvo e meio". Bons comentários!

A afectar a blogosfera desde 1 de Maio de 2005. afectado@gmail.com

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO