quarta-feira, junho 16, 2010

O melhor ensino do mundo (e arredores)

Sou intensamente crítico do facilitismo que caracteriza o nosso ensino hoje em dia. Já se sabe o que eu acho das novas oportunidades, assim como da nova moda de facilitar no ensino superior.

Agora, a somar a esses erros enormes (e que os vamos pagar muito caro no futuro), há a estupidez de os repetentes com mais de 15 anos que estejam no 8º ano poderem passar para o 10º sem frequentar o 9º, mediante a aprovação nuns exames. Isto vai contra qualquer lógica que possa existir e tem apenas um objectivo (tal como as duas situações referidas no início): fazer de Portugal um país com bons números nas estatísticas da educação. É tudo do mais puro "faz de conta". É pena, com estas politicas estamos transformados cada vez mais no país "faz de conta".

E ninguém me convence que não estivemos já mais longe da formação a todos os níveis do ensino sair nas caixas de cereais. Queres o 10º ano? Compra Chocapic e habilita-te! Queres um curso superior? Compra All Bran e recebes dentro de duas semanas o diploma em tua casa (em alternativa podes aparecer ao Domingo na Universidade mais perto de ti e requisitar a entrega do diploma em mão).


Nota: Assina o feed deste blog ou recebe todos os posts por email. Podes também acompanhar o blog no Twitter e no Facebook.

28 Comentários:

Poetic GIRL disse...

Só posso concordar contigo, realmente em certos aspectos existe este facilitismo exarcebado. Para o estado os alunos agora são apenas números, apenas interessa o gerar esses números, independentemente de aprenderem realmente alguma coisa ou não. Eu estou agora a candidatar-me aos maiores de 23 pela U.M., pelo que vi em relação a outras universidades esta é das mais exigentes a nível destes critérios, as outras só se denota que querem cada vez "mais clientes". Mas dou o braço a torcer que é uma forma de nos facilitar o acesso, apesar de na fase inicial sermos cerca de 700, ficarmos logo reduzidos a um terço após a primeira prova: de português! beijocas

Sadeek disse...

Basta recordar como o nosso "Primeiro" tirou o curso. Não é preciso ir mais longe... ;)

ADEK disse...

Concordo, concordo e concordo. Para além do que disseste, faz-me imensa confusão só andarem a arranjar maneira de "aprender brincando". É a malta que lança os quadros digitais, e os pc's para fazer os trabalhos a dizer que o estudo é muito mais efectivo quando se torna divertido... Chamem-me retrógrada (com 24 anos já dou por mim a usar a expressão "no meu tempo"), mas NO MEU TEMPO, naquele em que andei no secundário, já usei pc's e internet para pesquisar e fazer trabalhos, mas andava na mesma com os cadernos atrás... E trabalhei. Aprendi trabalhando, e quando já tinha aprendido o suficiente para o dia, lá ia brincar! Acho que não se podem misturar as duas coisas. É suposto ter-se muito trabalho, apanharem-se muitas "secas" de estudo, para ser um bom aluno e no futuro uma pessoa culta. Já nessa altura experimentaram joguinhos de aprendizagem, e eram dias santos para nós. Mas na verdade, se o percurso escolar tivesse sido feito com esse género de coisas, não tinha aprendido grande coisa. Talvez o contrário seja muito útil: brincar, aprendendo! Mas acho que hoje em dia se estão a confundir demasiado os dois conceitos.

Acho óptimo que os professores tentem ao máximo cativar os alunos de várias formas, e fazer com que eles gostem de andar na escola. Mas não podem fazer isso, deixando-os sem aprender! Também achei a escola aborrecida várias vezes, muitos foram os dias em que não me apetecia ir, e quase todas as aulas desesperava pelo toque da campaínha nos últimos 10 minutos de aula. Se queria que tivesse sido de outra forma? NÃO!!!:)

Beijinhos*

Allie disse...

Estamos na era do facilitismo. Ninguém quer trabalhar em prol de algo, quem tudo feito. A educação em casa não existe, a educação na escola está em vias de extinção. A verdade é que noto diferenças enormes desde o meu tempo de secundário. Os miúdos, na primária, já usam máquinas de calcular. Por um lado, têm aulas de inglês, informáticas, e outras, mas por outro lado mal sabem escrever, dizer a tabuada ou fazer contas básicas de cabeça.

ML disse...

Neste momento, a escola, está assustadora. Pior do que o facilitismo é a quase-anarquia que se vive dentro daqueles muros, daquelas salas de aula. Muita coisa mudou desde há 10 anos para cá. Muita mesmo. Digam o que disserem os professores estão cheios de condicionalismos, e burocracias a prender-lhes os movimentos. Os alunos bem... os alunos passam por decreto... e não é preciso dizer mais nada. Daqui a um ano falamos... quando a primeira fornada de alunos do 9ano, for "obrigada" a ir para o 10ºano... e por conseguinte 11º, 12ºano! Imaginem a qualidade com que vão ficar as turmas "pré-universitárias"! ... Enfim...

Big Kisses

ML

Tulipa disse...

Olá! Concordo plenamente contigo sobre a má forma como a nossa política de educação é conduzida; quero só acrescentar que os profissionais que trabalham na educação são os principais responsáveis para que esta cumpra os objectivos a que se propõe (e não estou a falar de estatística). Por esta razão, o Programa Novas Oportunidades (que podes consultar aqui www.anq.gov.pt) engloba todas as formas de educação formal que não pertencem ao ensino chamado regular e não conheço nenhuma que seja 100% à distância. Se um professor não cumpre o programa do ensino regular, de um curso de formação ou de um referencial de competências-chave o problema é falta de ética profissional e, na maioria dos casos, falta de vontade de trabalhar. Kisses

Malena disse...

Bem... Nem tudo vi bem na "Aventura na Educação", isso é verdade! mas não exageremos... Há muita gente a trabalhar bem, quer alunos quer professores.

Vani disse...

Sabias que esta medida já existia e que se está a fazer um barulhão por algo que antes ninguém questionou?

Quanto às novas oportunidades, já disse o que tinha a dizer :p, nem me lembro se aqui, mas novamente sublinho que falar de um sistema e de uma filosofia que não se conhece bem, é fácil. E que ao colocar todos no mesmo saco, estamos a escarnecer de muitas pessoas com valor, já para não falar dos profissionais que alombam nessa área todos os dias e que lutam por um ensino profissional melhor. Ah, e chumba-se por faltas. Ou por não-aproveitamento escolar. Ou por mau comportamento. E não há vuvuzelas na sala de aula. Nem porrada. Nem desrespeito. Nem alienação. E esta, hem? Devem ser mesmo muito más, e não andar a educar ninguém, porque aquilo é uma cambada de mamões que só querem chuchar no sistema, não é?

assassinada: a mamona :p

Pronúncia disse...

Afectas, e tu achas que este tipo de alunos que pode recorrer a este tipo de facilidade consegue fazer todos os exames e passar?!
Não me parece... a não ser que os exames sejam daqueles mesmo, mesmo, mesmo fáceis (e mesmo assim desconfio muito que a maioria passe).

afectado disse...

poetic, este governo no que diz respeito ao ensino tem trabalhado muito para os números. mas da forma errada.

afectado disse...

sadeek, touché!

afectado disse...

adek, essas novas tecnologias não são totalmente más. também têm aspectos positivos, é preciso é averiguar se são mais que os negativos.

AUFDERMAUR disse...

Haja alguma coisa em que seja o senhor engenheiro o primeiro a dar o exemplo!

afectado disse...

ml, e a facilitar-se como tem sido hábito, imagino mesmo a qualidade...

afectado disse...

tulipa, começo a achar que não há ninguém a conduzir... o carro já vai descontrolado.

afectado disse...

malena, claro que há... contudo, estes exemplos que referi não estão nada bem!

afectado disse...

vani, não sabia.

eu conheço bem a filosofia e o sistema das novas oportunidades. sei bem como funciona...

Malena disse...

Pois olha...depois de ler o meu comentário até se muda de ideias! Embora a minha "educação" seja mais antiga que a Sé de Braga! Olha só para o atabalhoado!!! ;)

afectado disse...

pronúncia, e tu não sabes que os exames têm-se tornado mais fáceis (não sou eu que o digo)? e tu não sabes que por exemplo aquelas provas que se fazem no 6º ano, os miúdos da 4ª classe responde de forma acertada às perguntas? (a sábado fez esse teste, e os da 4ª classe também as acertavam).

não digo, até porque não sei, se os do 9º ano andam fáceis ou não, mas admiras-te que aos poucos se tornem mais fáceis (se a politica actual se mantiver)?

pois, o caminho percorrido tem sido esse. que te faz crer que vai parar?

afectado disse...

aufdermaur, muito bem hehe :)

afectado disse...

malena, não sejas exagerada ;)

Pronúncia disse...

Afectas, eu sei disso tudo e concordo contigo. Já falei algumas vezes do facilitismo em que o Ensino caiu em Portugal e no facto de, hoje em dia e não apenas nesta área, se governar para a estatística e de tudo ser nivelado por baixo.

Fiz o comentário que fiz, porque desconfio que o tipo de alunos que vai recorrer a este tipo de facilidade, são mesmo os piores dos piores, e esses quase só conseguem passar os exames (parece que têm mesmo que ter positiva a todos) se alguém os fizer por eles... bem, há sempre a hipótese do Ministério obrigar os professores a darem as respostas às criaturas (já é só o que falta legislarem)!

Ana Luisa Alves disse...

Eu concordo contigo quanto ao facilitismo existente hoje em dia e não há quem me convença que os putos de hoje ficarão bem melhores só porque andaram 9 ou 12 anos na escola!Saltar anos é uma perfeita estupidez que apenas demonstra a falta de cultura do nosso país!No entanto, quanto ás Novas Oportunidades não posso concordar a 100%...se é real que é uma maneira facilitada de concluir o 9º ou 12º ano,também é real que, apesar de não estudar geografia ou matemática,se trabalha bastante e se aprende muito mais (isto se for feito como é suposto).Há que ter em conta quem frequenta este tipo de "cursos" e as razões para tal.Tenho a certeza que acreditas que se aprende bastante mais na vida real do que nas salas de aula, apesar de uma não poder viver sem a outra. Beijocas

Vani disse...

Obrigada, Ana Luísa! ^_^ ihihihih, pronto, é isso mesmo ihihih.

Se bem que, com bons profissionais, se aprenda bastante nas salas de aula. É preciso vontade de aprender e vontade de ensinar. E recursos. Coisas que muitas vezes não existem e há que fazer das tripas coração para que resulte.

Afectas, eu não estava a referir-me a ti, estava a generalizar, porque a maioria das vozes que se levantam fala sem conhecimento de causa. E cospe em quem se preocupa e tenta que as coisas funcionem.

ML disse...

As coisas não estão a funcionar como devem ser e ponto final! Nem no percurso educativo normal, nem nas novas oportunidades, nem nos CEF's, nem nos EFAS. E claro que estou a generalizar, porque em como tudo há excepções. E ainda bem. E falo do que sei, do que se passa nas escolas públicas. E não me venham dizer que a culpa é exclusiva dos profissionais\professores\formadores que estão na linha da frente.

Imaginem curso CEF, para concluir 9ºano, reprovam 30% dos alunos, preenche-se 1500 folhas a justificar. Passado um mês Inspeccção na Escola, a querer saber porquê. Porque é que meninos com 15 e 16 anos vão repetir e não ter o diploma do 9ºano. Este é o nosso país.

E quanto aos exames dos meninos que andam no 8ºano e têm 15 anos, e querem prosseguir estudos para o 10ºano.... a questão não é, nem pode ser esta: "será que têm capacidade de passar? vão reprovar de certeza, se têm 15 anos e estão no 8ºano não são grande coisa! Para quê tanta preocupação?" A questão é, existir essa possibilidade! Está-se a valorizar o ter repetido anos?? Ora bem meu menino, tens 15 anos tens nega a tudo? Então vai lá tentar passar para 10º! E tu meu menino que tens 13 anos e desde o 5ºano tens nível 5 a todas as disciplinas, vai lá para o 9ºano que te vai fazer bem, mesmo tendo tu capacidades a mais até para passares no exame do 9ºano com nível 4 e 5!!

Haver hipótese de isto acontecer é que está mal! O desempenho dos tais alunos de 15 anos é secundário! É estar a valorizar a incompetência!

A sério...

afectado disse...

pronúncia, nunca duvides da capacidade de em portugal se trabalhar para os números... são capazes das coisas mais incríveis.

afectado disse...

ana luísa, como já tenho dito noutras ocasiões eu acho que as novas oportunidades são uma excelente ideia, com muitos méritos.

no entanto, a forma como está a ser levada a cabo, não é, de todo, a melhor.

afectado disse...

ml, precisamente, a questão é que se estão a adulterar as coisas, está-se a inverter a tábua de valores.

Enviar um comentário

Comenta à vontade, estejas ou não de acordo com o que por cá é dito. No caso de te quereres armar em espertinho, lembra-te: "para parvo, parvo e meio". Bons comentários!

A afectar a blogosfera desde 1 de Maio de 2005. afectado@gmail.com

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO