sábado, setembro 13, 2008

Coisas que nos protestos não se dizem

O melhor rácio de alunos por professor dos mais de 30 países analisados num relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), relativo ao ano de 2006, pertence a Portugal. Segundo o documento ontem divulgado, no Ensino Secundário, temos um professor por cada oito alunos inscritos, enquanto que os Estados Unidos da América têm um docente por cada 16 alunos, a Alemanha um por cada 15 e a França um por cada 12.
(...)
O estudo refere, ainda, que, apesar de Portugal ser um dos países do estudo com menor Produto Interno Bruto(PIB) "per capita", os salários dos professores estão ao nível de países com um PIB "per capita" bastante superior. O relatório salienta que Portugal gastou, em 2005, cerca de 5,7% do PIB na Educação: 1,4% no Ensino Superior e os restantes 3,7% nos outros graus de ensino. [via Jornal de Notícias]


Nota: Assina o feed deste blog ou recebe todos os posts por email. Podes também acompanhar o blog no Twitter e no Facebook.

14 Comentários:

Charmoso disse...

Acho que com a divulgação deste relatório, muitos dos argumentos dos professores e/ou sindicatos caem por terra! Lamento a tentativa absurda de luta por causa nenhuma! Sim, porque no fundo protesta-se tanto... e afinal . . .

Blackstar disse...

Também acho uma pena que tenhas escolhido de forma totalmente nociva para os professores as tuas frases!

No entanto, estes bons rácios de professor por aluno não encontram um paralelo na dimensão das turmas, onde Portugal ocupa um lugar mediano com 18,6 alunos por cada turma no Ensino Básico e 22,5 alunos no 2.º Ciclo. ou mas, de acordo com o estudo, Portugal é o terceiro país onde os professores mais ensinam: 60% do tempo total na Primária e 50% no Secundário. são prova do que estava a tentar dizer!

Opções que se tomam...

afectado disse...

charmoso, touché...

afectado disse...

blackstar, então podias tu também ter destacado estas:

Mais de 95% dos gastos com a educação no Básico e Secundário em Portugal são com o pessoal, especialmente com os docentes.
(...)
Apesar de o número de professores não se reflectir nas turmas, reflecte-se bem nos gastos totais. Portugal é o país que gasta a maior percentagem do orçamento dedicado à Educação com o pessoal, um pouco mais de 95%, sendo que 85% dos gastos no Básico e 81% no Secundário são exclusivamente com professores.


Turmas com 18 ou 22 alunos parece-me bem. Diminuir o número só se fosse para dar mais alguns lugares...

Não foi uma escolha de frases nociva para os professores, mas sim para os protestantes
. Sim, porque há professores que não protestam. Eu quando falo contra isto neste blog, e já foram algumas vezes, não é contra os professores, mas sim contra os professores protestantes que semana sim semana não lá andavam por aí aos berros a queixarem-se de tudo e mais alguma coisa.

A primeira frase, em que se apresenta portugal como o país com melhor média de professores por aluno até é mais para expressar que ou somos um país de apaixonados pelo ensino, ou então ser professor tinha grandes vantagens... uma das duas tem que ser, caso contrário não estaríamos na frente como diz no estudo...

Blackstar disse...

Espera aí, tu queres que EU reclame pelo dinheiro que é gasto com os docentes?! Porquê? Porque ganho sensivelmente o mesmo que qualquer outra profissão que estudou o mesmo número de anos que eu? (Sim, há os que ganham menos, que eu lamento, e os que ganham muito mais!)

Também queres que eu reclame com a pouca eficiência de quem gere o dinheiro público e até me culpabilize por ela?! Está bem... se pedires muito e com jeitinho, eu também me responsabilizo pela fome no mundo, queres?!

Já agora, porque todos andaram na escola, todos pensam que podem dar opinião de uma realidade que desconhecem! Consideram que se lá estiveram, sabem como funciona. Pois bem, eu já fui MUITAS vezes ao médico e nunca me lembrei de ter a petulância de considerar que sei dar consultas, gerir um hospital ou até o MS! Não sei e foi algo que nunca me ocorreu, vá-se lá saber porquê!

Para que saibas, eu nunca protestei, nunca aderi a uma greve nem nada que se pareça, mas defendo sempre a minha classe! E, já agora, desde que eu ingressei no mercado de trabalho, fica a saber que nenhuma greve foi pelo dinheiro! (Quando se fala em aumentos salariais iguais para todos, não se pede para ganhar mais, reclama-se um direito igual ao de todos!)

Por fim, admito que há muita coisa no ensino que está e esteve mal! Grande parte das amizades bloggers que criei começaram precisamente quando a outra parte me veio dizer que considerava isto ou aquilo menos bem! Na maioria dos casos, dei-lhes razão! (Todas as profissões têm maus representantes!) Mas TODOS eles foram capazes de reconhecer que estavam errados noutros aspectos que desconheciam. Basicamente, todos eles foram capazes de mostrar que não eram fechados e obtusos nas suas opiniões!

Teresa disse...

Afectado...

confessa-me uma coisa...
Tu por acaso sabes por que se manifestaram os professores?

afectado disse...

teresa, sei.

Teresa disse...

Pronto, o primeiro passo já está!

Agora, se não for pedir muito, explica-me lá a razão do protesto.

afectado disse...

teresa, qual deles? é que no ano lectivo que passou era um de duas em duas semanas (confesso que não acompanhei o motivo de todos)...

agora mais a sério, eu nunca disse que os professores não têm motivos de queixa como toda gente. claro que tem. mas, não me lembro de ter visto outra classe profissional, seja ela qual for, protestar sequer um quinto das vezes no ano que passou. excepção aos camionistas que apesar de terem protestado menos vezes, o fizeram com muita maior intensidade e de forma muito mais irracional.

Teresa disse...

Tens razão numa coisa que dizes: os professores protestaram bastante nestes últimos tempos... Mas agora, creio ser necessário aprofundar um pouco mais sobre as razãoes que levaram a tal.

Lembro-me de já ter visto protestos de médicos, enfermeiros, polícias e de outros tantos grupos profissionais. Mas já viste o quão curioso o facto de estes protestos pouco durarem...? Será que é porque o governo acede a quase todas a exigências deles? Ou será que eles desistem de lutar facilmente por aquilo que querem?...

Que eu saiba, quase todas as manifestações dos professores têm sido por melhores condições de trabalho... e quando falo em condições, não me refiro só a condições materiais, mas sim humanas. Porque, infelizmente, uma grande parte dos pais hoje em dia não sabe ou não consegue dar as bases mais elementares de uma educação, limitando-se a empurrar esse cargo para os professores.

Os professores são educadores, mas(ainda) não conseguem fazer milagres...

E só para te esclarecer, os últimos protestos dos professores foram pelo sistema de avaliação. Pessoalmente considero a avalição algo excelente, porque há muita boa gente (e não são só os profs) que andam para aí a coçar a pança e outras partes.

O que estava mal nisto tudo, é que a sodona ministra da educação sonhou que os professores/contratados tinham ar de coelhinhos cobaias e "bora lá avaliar à pressão que isto até é giro e depois eles não fazem muito barulho porque ninguém lhe dá ouvidos"...

Enfim...

Teresa disse...

E desculpa lá o tamanho do comentário...

afectado disse...

teresa, sim, sobre isso das avaliações até fiz um post há uns meses. o que penso é que é incrivel que só agora estejam a chegar as avaliações aos professores (qualquer classe profissional deve ter para ser credível). tal como também disse neste post, não sou um entendido no assunto e portanto não sei se o método proposto é indicado ou não. mas o que vi muitas vezes nos protestos foi pessoas a dizerem que não queriam ser avaliados. não a dizerem que o método era mau, mas que como alternativa propunham este ou aquele...

certamente saberás melhor disto do que eu, mas vocês apoiam-se muito nos sindicatos (percebo porque é a função deles), e saberás que uma das causas para o elevado desemprego que a classe dos professores hoje apresenta está nas reivindicações sindicalistas. com certeza que conheces professores que exercem sem licenciatura porque noutros tempos os sindicatos queriam isso, permitiram isso. talvez devessem começar por aí para diminuirem o número de professores desempregados.

independentemente de tudo, ser professor em portugal, pelo menos há uns anos, devia ser muito bom... caso contrário não teríamos a melhor média de professores por aluno entre os 30 países abrangidos pelo estudo da OCDE.

ou então somos um país de pessoas apaixonadas pelo ensino que optaram por esse caminho mesmo sabendo que a sua profissão está cheia de problemas :)

Teresa disse...

Afectado... desculpa, mas, sem querer ofender, às vezes roças ingenuidade.

Qualquer pessoa que escolhe uma profissão, fá-lo não só pelo gosto, mas também por uma questão de sobrevivência (a não que sejamos abençoados com o euromilhões).

Isso de "ser prof é que é boa vida" já acabou há mt mt tempo...e isto garanto-te porque já qd entrei para a faculdade (e já vão uns quantos anitos), sabíamos que as condições deste mercado laboral estava a piorar a olhos vistos. Mais uma vez, o povo português tem aquela tendência chata de se agarrar ao que era antes sem querer abrir os olhos para a realidade do nosso país.

Isso da melhor média de prof por aluno, desculpa que te diga, é mas é uma grande treta. Sabias que o insucesso baixou? Acreditas que o QI dos alunos subiu assim como por milagre de um ano para outro? É que se acreditas, então continua a acreditar lá no tal ratio de prof por aluno...
Os professores não têm 18 alunos por turma... quem lhes dera! Têm, sim, 28 e 29 por cada uma.

Não digo que toda a gente que está no ensino, esteja por gosto ou vocação. Muitos caíram nesta profissão por acaso/azar ou por simplesmente não haver mais saídas no seu curso. O pote de ouro não está no final deste arco-íris.

afectado disse...

teresa, estás desculpada, isso não me ofende, deixando-me inclusive de alguma forma contente. Eu sou daqueles que acreditam que toda gente tem algo de ingénuo dentro de si... e pobres daqueles que já não têm.

sim, acabou há uns anos, eu próprio digo isso no meu comentário, como deves ter reparado. por isso é que cada vez entra menos gente para ensino. claro que ninguém pode esperar que as pessoas deixem de ir para algo que lhes parece um bom futuro... para isso serve o estado, para antever que pode ocorrer uma inundação e fechar a torneira antes. infelizmente os nossos políticos funcionam ao retardador de modo a perderem votos o mais tarde possível. o que se passa no ensino está-se a começar a passar noutras áreas (direito por exemplo) e nos próximos anos vai-se alastrar ainda mais. Temos licenciados desempregados a mais e este ano abriram mais vagas para a universidade! Resumindo, não há tomates para tomar decisões polémicas mas que possam salvaguardar o futuro...

Tens razão, tem havido diminuição de insucesso. Pelo que tenho visto e pelo que me têm dito (professores) os exames tem vindo a ser mais fáceis.

28? Na universidade há turmas práticas de 50 ou mais alunos e teóricas com 100 ou 120. Não serão as condições ideais, mas ninguém trabalha nas condições ideais. queremos sempre algo mais, é algo natural no ser humano... estar constantemente insatisfeito.

Mais uma vez te digo... queixam-se do desemprego? corram com os parasitas que dão aulas sem ser professores... primeiro comecem por aí.

Enviar um comentário

Comenta à vontade, estejas ou não de acordo com o que por cá é dito. No caso de te quereres armar em espertinho, lembra-te: "para parvo, parvo e meio". Bons comentários!

A afectar a blogosfera desde 1 de Maio de 2005. afectado@gmail.com

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO