sexta-feira, junho 06, 2008

Nem as mulheres são tão complicadas, nem os homens tão simples VI

Em cima da fotocopiadora


Eu sou a favor de que as pessoas no trabalho não se devem dar a grandes confianças. Tudo bons colegas e tal mas não deixar passar disso. Amizades? Sim, é possível mas não sei se é desejável. Mais cedo ou mais tarde o chefe toma uma decisão em favor de um prejudicando o outro e está o caldo entornado. Se se mantiverem as devidas distâncias não se perde nada.

Mas centremos-nos nos casos mais gritantes. Relações amorosas ocasionais ou prolongadas. Muitas pessoas que se conhecem no trabalho acabam por nutrir uma especial atracção por um ou outro colega. Mesmo que comprometidos é corrente acontecer a queca espontânea (que de espontânea teve pouco, pois aqueles olhares provocadores assim o proporcionaram), seja na casa de banho, na arrecadação, em cima ou em baixo da mesa, na sala de reuniões. Se não passar desta suposta espontaneidade, isto é, mata-se a curiosidade, dá-se a queca e tudo bem... ainda há salvação. Apesar de entre ambos se manter aquele clima mais atipico que o normal, a situação é sustentável.

Pior é quando da espontaneidade se passa à regularidade. Encontros pós-laborais com o respectivo telefonema para casa a anunciar uma reunião importantíssima para o futuro da empresa. Aqui, quando a história acaba, há sempre ressentimento de alguma parte e então a única saída para bem de ambos é pelo menos um deles pôr os pés a caminho e procurar outra... empresa, claro está! Há ainda o pormenor de antes de a aventura terminar, alguém da mesma empresa descobrir... é meio caminho andado para até a empregada de limpeza que vai à sexta à tarde fazer a ronda saber. Isto se não for ela a gloriosa sedutora...

Mas sem dúvida que o mais comum é o par ser chefe/empregado(a). Uma chefe com um empregado não será tão comum (acho eu...), mas deve ser complicado para o empregado... se aquilo dá para o torto ou se simplesmente ele não lhe consegue dar um triplo orgasmo por queca, é despedimento na certa e perseguição para ele não conseguir emprego em lado nenhum.

Quando é um chefe com uma empregada regra geral não é a queca espontânea. São uma série delas, muitas vezes mesmo torna-se num caso. Também por norma é inevitável que se comece a desconfiar até que já ninguém desconfia... já todos afirmam! É aqui que se revela a fraca verticalidade de um dos dois, ou até mesmo dos dois. Porquê? Tanto pode ser ela que deu uso aos seus atributos fisicos para iludir o seu chefe que como bom babão que é, pensa que é um homem super desejado devido à sua masculinidade. Nestes casos é uma questão de tempo até aparecer uma promoção relâmpago. Pode ser o inicio do fim da empresa (verídico).

Também pode ser ele que deu uso à sua posição de superior, à sua facilidade de obter as coisas, cantando a música que elas gostam de ouvir. As flores, os bilhetes... e de repente ela julga-o apaixonado por ela (esquecendo-se nesta altura da esposa dele e dos 3 filhos) e pensa "aaiiii é tão bom sentirmos que nos amam... ele podia ter qualquer uma desta empresa, mas escolheu-me a mim... gosta mesmo de mim... aaiiii" (claro que enquanto ela pensa isto ele pode estar a tentar meter a mão por baixo da saia a outra colega dela). Ela deixa-se envolver, é usada até dizer basta e quando ele se cansar de já conhecer todas as cuecas de fio dental que ela leva especialmente para ele ou então até aparecer uma nova estagiária na empresa com tudo no sitio e ela é encostada. Pode ser o inicio do fim da carreira (verídico).

As relações no trabalho costumam ter uma de duas consequências: ou dá em merda ou dá em promoção. O ciclo vicioso da questão é que dando em promoção acaba por dar em merda.

A opinião da Allie sobre as relações no trabalho a não perder no seu blog.


Nota: Assina o feed deste blog ou recebe todos os posts por email. Podes também acompanhar o blog no Twitter e no Facebook.

6 Comentários:

Rita Carapau Sardinha Frita disse...

Bem.. Depois de ler este post até vi alguma vantagem em só trabalhar com mulheres.. (jardim de infância = a mulheres)
Se bem que na lá na "cambra" (que é a minha entidade patronal) tb se ouvem rumores deste género, o que acaba por ser mais grave pq são lugares públicos que supostamente têm que ir a concurso público.. enfim! Mas.. Xiuuu!!! Que se alguém da "cambra" com as orelhas quentes lê isto ainda me põe um processo disciplinar!.
Qq das formas, e pensando bem, até que me dava jeito piscar o olho a algum vereriador pra ver se eu passo aos quadros (que jeito que me dava!), mas cm eu sou uma mulher séria, vou continuar a contrato até à reforma! É o país que temos, meus amigos!

Allie disse...

Oh pá... a dar em alguma coisa, que seja aumento salarial! Assim, poderei dizer "f*dida e bem paga"!

(Desculpa a falha... não sei o que se passou.)

Ás de Copas disse...

Xiiiiiiii, nem comento :P

Gi disse...

Pois!
Eu estaria feita ... durante muito tempo fui a única mulher no meio de uma "data" de homens!
E agora tb estou em minoria;)

Gulosos disse...

Atreve-te em

http://guloso-casal.blogspot.com

afectado disse...

rita, pisca pisca e depois queixa-te que o babão não te larga...

allie, falta é saber se era bem ou mal fodida :P

ás de copas, tu sem palavras? coisa inédita :)

gi, se calhar assim nenhum pisava o risco. digo eu lol

gulosos, boa sorte no arranque do blog.

Enviar um comentário

Comenta à vontade, estejas ou não de acordo com o que por cá é dito. No caso de te quereres armar em espertinho, lembra-te: "para parvo, parvo e meio". Bons comentários!

A afectar a blogosfera desde 1 de Maio de 2005. afectado@gmail.com

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO