domingo, dezembro 14, 2008

Ser deputado não é uma escravatura

Esta é a frase que irá certamente concorrer a frase do ano. O seu autor é Almeida Santos, um dos politicos mais agarrados ao tacho que temos pelo nosso país. Diz ele que Não se paga aos deputados o suficiente para que sejam todos apenas profissionais. Eu defendo algo parecido, mas por razões diferentes. Desde há muito tempo que tenho na ideia que os deputados deviam ser muito mais bem pagos, porque podia ser que assim passassem a haver pessoas competentes a querer ir para lá fazer algo de realmente útil pelo estado. Enquanto isso não acontecer, vão continuar por lá os que querem é ganhar uns "trocos" extras e ter uns fins de semana alargados!

Mas ele ainda diz mais: Quanto às justificações para as faltas, é verdade que a sexta-feira é, em si própria uma justificação, porque é véspera de fim-de-semana. Eu compreendo isso. Talvez esteja errado que as votações sejam à sexta-feira. Ok, deixa ver se eu percebi. Então não deve haver votações à sexta porque os senhores deputados podem estar numa de ir de fim de semana alargado recebendo exactamente o mesmo que receberiam se estivessem na assembleia? Se percebi bem, vou avisar o meu patrão que na sexta vou faltar porque isto de trabalhar a uma sexta não está com nada e o pessoal quer é fins de semana alargados! Ah, e claro... ele não me vai descontar o dia porque aos deputados também não descontam.

Esta notícia é tão fabulosa que eu não resisto a deixar mais uma tirada inspirada de Almeida Santos: É preciso é arranjar horas para a votação que não sejam as horas em que normalmente seja mais difícil e mais penoso estar na Assembleia da República. Vá, agora é o momento, todos de pé a bater palmas e a entoar em coro "Almeida Santos a primeiro ministro, JÁ!". Isto é genial e tem toda a lógica. Eu, por exemplo, acho extremamente penoso no inverno trabalhar-se tão cedo. Acho mesmo indecente que não se comece só a trabalhar às 11 da manhã.

E já agora Sr. Almeida Santos, estar na assembleia da républica é penoso a qualquer hora. Pelo menos enquanto estiverem lá pessoas como o senhor e outros apreciadores de fins de semana alargados e jantaradas às custas do estado, e ainda leitura de jornais, palavras cruzadas, sudoku, entre outras coisas, em plena assembleia de república.

Depois de ler esta notícia lembrei-me do parlamento australiano, onde se vai agora aplicar o controlo do balão de alcoolemia aos deputados. Esta medida foi tomada porque o ministro das policias foi apanhado a dançar em cuecas em cima de um sofá depois de ter visto o seu orçamento aprovado. Esta situação do parlamento australiano trouxe-me de imediato duas ideias à cabeça. A primeira é que, tendo em conta declarações como as de Almeida Santos, em Portugal devia-se instaurar esta medida não só na assembleia da república, mas também andar sempre alguém com o balão atrás dos deputados para que antes de eles poderem fazer qualquer declaração à imprensa, se comprovasse o estado sóbrio dos mesmos. É que a maior parte das vezes custa-me a crer que estejam sóbrios.

A segunda ideia, e de todo a fundamental para a implementação desta medida, foi pensar por alto nos ministros que temos e imagina-los a dançar em cuecas em cima de um sofá assim que aprovam algo. Façam lá este exercicio mental, e digam-me se não é extremamente urgente implementar-se o controlo do balão de alcoolemia na assembleia da república. Para os mais preguiçosos, eu dou um pequeno empurrão à vossa mente: tendo em conta as sucessivas vitórias que Maria de Lurdes Rodrigues tem tido nos últimos tempos, imaginem ela a dançar em cuecas em cima de um sofá. Bela imagem, não?


Nota: Assina o feed deste blog ou recebe todos os posts por email. Podes também acompanhar o blog no Twitter e no Facebook.

6 Comentários:

Pronuncia disse...

Fantástico! Hilariante!
O que eu já ri ao ler isto.

Mas, tem lá paciência, se já é mau ver os deputados e ministros na AR, imaginá-los a todos de cuecas aos saltos num sofá, é TORTURA!

Também quero que a 6ªfeira, só por si seja justificação de falta. Dava jeito, lá isso dava!

afectado disse...

tortura? vá, imagina lá o mário lino a dizer jamais (ler jámé) em cuecas enquanto dança em cima de um sofá. isso é que era :P

ipsis verbis disse...

Ahahaha. Controlo de alcoolemia e de boxers/cuecas/tangas e fios-dental... nunca se sabe.

Cangurus e macacos... só diferem na bolsa!

Pronuncia disse...

Bem, só de imaginar já é um gozo.

Também acho que já só falta uma coisa dessas à nossa classe política, porque louquinhos já eles estão à muito .... E a deixar-nos a nós também malucos.
:)
:)
:)

afectado disse...

ipsis, estás a insinuar que os nossos políticos só fazem macacadas? :P

afectado disse...

pronuncia, estão loucos e parece que agora também vão estar alegres...

Enviar um comentário

Comenta à vontade, estejas ou não de acordo com o que por cá é dito. No caso de te quereres armar em espertinho, lembra-te: "para parvo, parvo e meio". Bons comentários!

A afectar a blogosfera desde 1 de Maio de 2005. afectado@gmail.com

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO