domingo, outubro 05, 2008

Kara(lh)oke

Os bares/restaurantes de karaoke constituem sempre um sitio onde se pode assistir a alguns espectáculos escusados. Há pessoas, com a mania que cantam muito bem, que o mais longe que a carreia na música vai é mesmo aquele espaço onde está a cantar. Para todos efeitos o aí ter chegado já foi longe demais... devia-se ter ficado pelo chuveiro!

Há também pessoas que pura e simplesmente estragam músicas. Pegam naquelas músicas que nos marcam a vida, põe-se a relincha-la e num passo de mágica conseguem que sempre que a música nos venha a cabeça nos lembremos do triste espectáculo.

Continuando nas actuações individuais, há pessoas que cantam tão bem, que misturarem-se com coisas como as que referi é um ultraje. São pessoas que deviam ir muito mais longe que um bar/restaurante de karaoke. Como isto é Portugal, é provável que o karaoke seja mesmo o ponto alto de uma carreira que nunca virá a existir.

Uma coisa que me intriga particularmente é o porquê do apresentador do karaoke pensar sempre que é um grande cantor e vai daí, de vez em quando, toca a arregaçar as cordas vocais e pimba... não que cante mal, mas... canta bem menos do que o que ele pensa. Sem dúvida.

Depois há todos os outros casos, como as pessoas que cantam assim-assim, as que cantam relativamente bem, as que cantam relativamente mal, as idas em grupo ao palco (e aí já é indiferente a habilidade ou não para o canto), entre outros que tais.

No fundo, o karaoke pode proporcionar bons momentos de distracção. Nem que seja a rir da desgraça alheia (característica tão portuguesa).


Nota: Assina o feed deste blog ou recebe todos os posts por email. Podes também acompanhar o blog no Twitter e no Facebook.

10 Comentários:

Thunderlady disse...

Aqui me confesso: cantei uma única vez num karaoke, éramos 5 a cantar a mesma música e foi divertidíssimo porque o bar estava por nossa conta.

E pronto. Mais karaokes só se me perder com algum grupo estranho o que nesta altura da vida duvido. Seja como for não canto - sou contra a tortura. E por ser contra a tortura gozo com quem lá vai torturar os outros, claro. Há uma diferença enorme entre passar uns momentos a divetir e achar que se está no festival da canção.

Maria Manuela disse...

E há lá coisa melhor, neste país, que rir da desgraça alheia ou da nossa ?
:)

Cor do Sol disse...

Eu adoro cantar e canto relativamente bem, mas não gosto e nem nunca cantei em karaoke. Mas, deixai-os cantar, ser felizes:)

afectado disse...

thunderlady, em grupo ou mesmo alguns que vão lá cantar individualmente é divertido. agora quando aparecem alguns feitos vedetas e só não partem os vidros do local por mera sorte...

afectado disse...

maria manuela, é melhor rir da alheia do que da nossa ;)

afectado disse...

cor do sol, temos cantora? :)

Latrodectus mactans disse...

Por acaso já cantei num grupo...mas curiosamente nunca tive coragem de cantar num karaoke.Geralmente quem lá canta ou não acerta nos tempos, ou não afina...mas quem canta...os seus males espata...=)

Pearl disse...

Mas não duvides!

beijinho

Profundo Olhar disse...

Confesso que sou fã de assitir a karaoeke,noite de quinta feira é sagrada...mas são noites de rir da desgraça alheia.....beijo

vida fugaz disse...

Eu não sei cantar.
Mas insisto...

Quero lá saber!

Se é pra desgraça é pra desgraça...

PS: os culpados são os amigos, que nos incentivam a fazer figuras tristes e no final ainda aplaudem.(amigos da onça!)lool

Enviar um comentário

Comenta à vontade, estejas ou não de acordo com o que por cá é dito. No caso de te quereres armar em espertinho, lembra-te: "para parvo, parvo e meio". Bons comentários!

A afectar a blogosfera desde 1 de Maio de 2005. afectado@gmail.com

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO